Obsessivo...ou Incondicional?



Quando você não tem paciência para ouvir o que tenho à dizer,
e se altera e grita, como quem fala com uma criança,
quando você não me dispensa atenção nenhuma,
como se, estivesse sempre, ocupado demais para mim,
quando você não me dá os beijos molhados de que necessito,
como se isso não tivesse a menor importância,
quando você me ignora, como se eu fosse apenas um objeto,
sem vida alguma, meu coração sangra às raias de uma hemorragia,
que não consigo controlar, e minha vida vai se esvaindo
por entre os dedos, me deixando cada vez mais amorfa.
A palidez, denuncia a gritante tristeza, que só você, teima em não ver.
E mesmo assim, esse amor obsessivo, dá a volta em si mesmo,
dribla os "adversários", e continua em frente, 
galopando rumo ao teu coração distante
na esperança de conquistá-lo, pois o amor que sinto,
é assim: incondicional...ou seria obsessivo?

 


Autoria: Simone Borba Pinheiro
Data:03/07/03