Meu Primeiro Baile 
 
Aquele baile eu não poderia perder. 
Nada, nem ninguém, me impediria de estar em seus braços naquela noite 
Acordei cedo e fui à loja comprar o vestido e o sapato para meu primeiro baile. 
Me senti uma princesa naquele vestido 
que brilhava mais do que meus olhos quando vêem você. 
Fiz as unhas, tomei um banho de ervas para relaxar, fiz um penteado que me permitiu 
um ar angelical e, por último, coloquei o vestido e calcei os sapatos. 
Antes de sair, não esqueci das preciosas gotinhas de meu perfume 
preferido. 
E lá fui eu para o baile, vestida para matar, de paixão é claro! 
Quando percebi, você estava à meu lado me convidando para dançar. 
Segurei em sua mão e fomos para o meio do salão, rodopiando ao 
som daquela linda valsa que até hoje, não sei o nome, não importa! 
Senti seus braços fortes envolvendo meu frágil corpo, enquanto minhas 
pernas, tremiam de emoção 
Meu rosto colado ao seu, inebriado pelo amadeirado perfume que 
exalava de seu corpo másculo. 
Meu cérebro, já não raciocinava mais, apenas me deixei levar pelas ondas 
suaves da melodia até que de repente , ouvi o despertar do relógio, que pena! 
Você nem tinha me beijado ainda! 
E agora, fiquei com uma dúvida cruel: Será que depois disso, você virou sapo? 
Pelo menos agora, sei que nunca fui princesa! 


Simone Borba Pinheiro 
03/12/03