Marcas do Tempo

Hoje, sentada na varanda
de minha casa vazia,
meus olhos contemplam
o horizonte ao longe,
enquanto minha mente
mergulha no passado
trazendo à tona
a jovialidade, a beleza
física, a pele macia
e todos os encantos
de minha doce juventude.


Hoje, a pele já não tem mais viço
e os olhos, já não brilham
mais como antes.
As rugas e os sinais
se fazem presente
em cada centímetro
de meu velho corpo cansado.
A memória rápida da juventude,
hoje se esforça para lembrar
as tarefas simples do dia a dia.
As belas pernas torneadas
que antes corriam,
hoje são lentas, quase parando.


Carrego comigo, no corpo e na alma
as marcas do tempo,
que com a graça de Deus,
não apagaram o sorriso
de minha face, ao contrário,
criaram em mim,
raízes de sabedoria e paciência
para viver o meu presente.

 


Autoria: Simone Borba Pinheiro
Data:10/09/03


 

 

 

 



 

 

setstats