Ironias da Vida


Debaixo do braço carrega
Uma pilha de jornal
E a caminhar não se nega
Para entregar " O Matinal ".


Caminha o bom infante
Pelas ruas da cidade,
Sem pensar nenhum instante
Em sua comodidade.


Gritando aos quatro ventos
- Venham ver " O Matinal ".
Alegra os senhores, que, atentos,
Compram o seu jornal.


Tantas coisas ele vende
Através daquele jornal,
E nem sei se ele entende
A importância do " Matinal ".


Aquele papel branco
De letras pretas impressas,
Causam ao menino espanto
Diante da vida sem pressa.


A ironia da vida
Vocês irão conhecer:
Este pequeno grande menino,
Ainda não sabe ler!...



Autoria: Simone Borba Pinheiro 
Data: 24/01/2003