Feitiço do Coração

De um vermelho carmim
apaixonado, pulsando
na palma de tua mão.
Coração cego, seduzido
por um amor canibal
que lhe arranca os pedaços,
ferindo de morte o coração
anestesiado, fascinado,
que deixou-se cair
nas armadilhas do
falso amor, sem condições
de lutar por liberdade
pois, foi dominado
e virou amuleto
em ritos macabros
de um amor bandido.
Serve de capacho,
o coração apaixonado,
pois foi devorado por uma serpente,
que o sufocou até a morte
com seu sorriso sedutor.
Ah! Pobre coração!
Que feitiço é esse
que te aprisiona a razão?


Autoria: Simone Borba Pinheiro
Data: 19/09/03