Damas da Noite

A dama da noite, elegante, 
ditava as regras da casa
aos fregueses da madrugada.
Meninas daquele lugar,
convidativo e fugaz,
tinham de ser respeitadas
ou nunca mais pisariam
no chão daquela boate
de cortinas, vermelhas
e luzes coloridas ofuscantes.
Nessa casa de dois andares,
os quartos limpos das damas,
guardavam nos lençóis revirados,
por uma noite de amor,
os segredos dos senhores
que faziam o dia acontecer.
E desde que, o mundo é mundo,
as senhoras, damas da noite,
cobram para guardar os segredos
do dia que corre tranquilo
sem nada demais pra contar.
E a vida passa matreira
sob o olhar escandalizado
de quem finge não perceber, 
que os segredos correm soltos
nos alegres corredores,
da casa de dois andares,
da dama da noite, elegante.

Autoria: Simone Borba Pinheiro
Data: 02 / 01 / 05