Amor Impróprio

Quando enfrento com coragem,
esse labirinto de emoções perturbadoras,
dou de cara com esse amor obsessivo
e impróprio, que devasta meu coração.
Confesso com vergonha que te quero,
mas sei que você não poderá jamais,
ser o amor que quero para mim.
Você já tem seu amor e
faz dele sua bandeira de vida.

Vou à sua casa todos os dias,
e chorando confesso, não o meu amor
mas, outra coisa qualquer,
somente para ter o prazer,
mesmo que por alguns minutos,
de ficar perto de você.
E até nesse momento, meu amor,
ficamos separados por uma janelinha,
na qual, mal posso ver o seu rosto.
Veja só, a que destino estou fadada:
Você escolheu a batina,
e eu, escolhi você!...

Autoria: Simone Borba Pinheiro
Data: 01/07/03