Participantes de "D" a "J"

 

Carnabal
Daniel Vileta

Que tiempos aquellos
De antaños
Donde se disfrutaba la guerra de las bombitas
Valdes de agua y pomos

Donde las cuadras eran regadas
Y nosotros pollos mojados
Haciendo entre lluvias de agua
Un arco iris

Benditos años que ya no se vem
Y en la llegada de la noche
Carabanas de carrozas
Multicolores en transito 

Desplegando alegria con su pasar
Serpentinas en lluvia
Y espumas
Eran aplaudidas
En su marcha

Con disfraces
Relucientes
Hechos con el alma
Para el evento tan especial 

Y aquellos con sus disfraces
Que con su pasar
Dejaban sus huellas con espumas
Gritos y saltos

Que tiempos aquellos
Se vem
Pero no es lo mismo

Daniel Vileta 
Cordoba - Argentina 


Saudade, Amor!
Eda Carneiro da Rocha

Naquele Carnaval que passou
lá estava ela:
"Dalva de Oliveira", 
cantando Bandeira Branca!
Apoteose presenciei!
Todos cantavam,
acenavam 
com um lenço branco nas mãos!

Época boa da minha vida!
Teatro República, Rio de Janeiro.
Meus olhos se encheram de lágrimas,
já chorando o pranto daquele Carnaval
de Amor!

Todos se enterneceram!
Era, como se um cordão humano
desse à Dalva
a magia daquele Carnaval!

Serenos e tranqüilos,
ouvindo esta música maravilhosa,
todos pediam e sentiam a Paz!

Momento inesquecível!
Como se fosse criança, vibrei, dancei,
acompanhei os carnavalescos
amantes do Carnaval,
me deixei levar pela vida,
sem um Amor,
para me acompanhar.

Só meu amigo Nilton,
era meu par!
Eu ,em cima de uma cadeira ,de pé
entoava:
"Bandeira Branca,
eu quero Paz"
E foi tudo que restou do meu carnaval,
da minha saudade,
do meu amor
que me deixou!

Eda Carneiro da Rocha
edacarneiro@uol.com.br
Araruama



Brincar de Ser Feliz!!
Efigênia Coutinho

O carnaval já vem chegando
Os tambores batucam, samba do 
Morro desce, dançando eu vou nessa,
Lá no meio a gente esquece, e se
Aquece num beijo que enternece 
Do gosto que a vida tem. 

Dancei, cantei, do asfalto pura emoção 
Eu quero bis... Brincar de ser feliz! 
Pelo carnaval da ilusão, 
De tanto Amor a fé não se desfez 
E no meu coração: Tente outra vez...
CARNAVAL 2007


Quando o carnaval chegar
Ermínia - Bel-BA

Adeus meu pierrô
Até ano que vem
Nosso amor durou três dias
Nessa eterna folia
Desta festa carnal
Serei sua eterna colombina
Nestes dias de agonia
Chamado Carnaval

Adeus meu amado
Vou viver de recordações
Do nosso amor imortal 
Seremos eternos apaixonados
Durante esse reinado
Dos carnavais passados
Dentro dos nossos corações

Vou tirar minha fantasia
Darei adeus à alegria
E quando o dia raiar
Nos seus braços não vou estar
Só me resta esperar
Que você volte para mim
Quando o carnaval chegar

Ermínia


Carnavales de hoy
Gladys Lopez Pianesi

Hoy las mascaritas salen de paseo
Hoy los antifaces esconden el murmullo
Ya corren por las calles desenfrenados
Hoy las plumas reflejan orgiásticas
Sinfonía de cuerpos, carrozas, lentejuelas
Hoy los cuerpos brillan, exultante deseo
Hoy el movimiento va acompasado
Al ritmo de batucada, al ritmo encendido
Hoy el alma es otra alma que se arrulla 
De sones y resuena al compás del corazón 
Hoy las mascaritas salen de paseo
y los vampiros suspiran enmascarados
Bulliciosos entre mascaritas y mascaradas

Gladys Lopez Pianesi



Colombina
Graça Cardoso

Das festas carnavalescas
Tenho saudades de meus tempos de juventude
Quatro noites eram esperadas com ansiedade
De fantasias multicores nos enfeitávamos... 
E uma noite toda não cansava. 
Ah!...Quanta alegria
Em cima de mesas subia
De pele morena e olhos cor de esmeralda
Belos cabelos cor de mel
Nesta festa conheci meu amado! 
Acredite! 
Foram dias de felicidade,
Mal poderia esperar pelo dia seguinte
Em companhia de amigas e primas
Aproveitei tudo de saudável! 
Sem bebidas, nem sacanagem! 
Podemos aproveitar o lado bom
Músicas e fluídos positivos
Pois se leva no coração
O melhor que podemos dar
É Amar! 
Feliz Carnaval! 

22/02/2004


Carnaval Tropical
Grazi Henriques Ventura
carnaval de 97 

Vem sambar,
E vem cantar com a gente.
Vem 
Que o carnaval,
Vai ser legal
E diferente.
Nosso carnaval,
É tropical,
Mas o samba é quente.

Vem ser feliz,
Vem com a gente se alegar.
Felicidade não pode mais esperar.
Põe animação,
No coração,
E vem cantar.
Esquece a solidão
Neste Salão,
E vem sambar!
Vem sambar...


Carnaval
Hermes José Novakoski

Carnaval é alegria
Muita festa e diversão
Dança, canto, fantasia
Nas cidades e no sertão

É festa para todos
Sem nada esquecer
Movimento que convida
Todos a se envolver.

É caminho, é vida, é luz
Dançar, pular, gritar, sorrir
É colorir as ruas e as fantasias
É correr para o passo não perder

Hermes José Novakoski
Porto Alegre, fevereiro de 2007


Este Carnaval Vai Ser Diferente!
Isadora

Meu benzinho,
o carnaval está chegando,
prometendo 
um mundo de sonhos,
de encantos, de fantasia,
tudo aquilo de que gosto,
que desejo para nós dois.
Mas você não gosta
como eu dessa brincadeira...
Quer as matas,
o som da natureza,
e eu afoita, como sou,
ah! quero mais proeza...
Quero desfilar na Mangueira,
no verde-rosa de minha poesia!
Com uma bela fantasia!
Muita felicidade,
esquecimento da maldade...
Quero ficar a noite toda
vestida de versos,
dançando sem parar...
embrulhada de adornos,
sem ouvir papos perversos rs...
e você não está gostando disso...
Não quer ir comigo
e,por isso,
achei a solução...
Enquanto 
você descansa no campo,
vive meu canto:
eu vou pra Avenida,
deixar meu poema
em grande estilo...
Não precisa ter grilo,
porque
deixo com você
o que de mais precioso tenho:
o meu coração...
É a melhor solução...
Só até quarta-feira...
Passa depressa
e a vida também
não precisa correr tanto...
É só deixar ver,
que tudo começa,
como uma rima,
fora da esgrima...
E a folia passando,
aplausos ganhando:
Meu benzinho,
estou indo,
quarta eu volto,
é meu carnaval...
Não fique triste,
lembra que existe
um coração que é todo seu!



Folia, Máscara e Mistério
José Ernesto Ferraresso

Chega a hora da festa tão esperada: O Carnaval
Amigos e inimigos se encontram,
Uns com o rosto descoberto,
Outros escondidos e mascarados.
Esconde e não se sabe o que está atrás desse aparato,
Talvez,tenha Tristezas, dúvidas e até mesmo disfarces.
Mas o que existe de verdadeiro ali?
Que mistérios há atrás delas?
Perguntas sem soluções surgem a todo instante;
Dúvidas inúmeras vão surgindo também .
Só quem as conhece poderia responder,
Mas se esquivam e nada tem a declarar.
Usam essas máscaras para esconderem-se, enganarem-se, 
Ou melhor para disfarçarem-se.
E a pergunta sem resposta continua,
Sempre à espera de alguém, 
Que num momento qualquer,
Esse mistério possa revelar.
O momento acaba. A festa vai terminar.
O aparato será tirado, o segredo incógnito será outra vez guardado.
Sabe-se que outras ocasiões irão chegar, 
E a dúvida sempre vai continuar.
Alguém vai tornar usar e o mistério nunca desvendar.
Portanto, a nossa certeza é somente esta :
Que a Folia irá recomeçar e outro mascarado vai se aproximar .

Serra Negra 
23/01/2007