Ainda Assim...



Rasgando minhas feridas,
atiçando meu sofrimento,
minha alma sentida...
Pisando nos meus sentimentos.


Queimando meu desejo,
lembrando teu abraço,
ardendo teu beijo,
me transformando em estilhaços.


Arranhando o vidro da janela,
tocando meu violão,
maltratando o coração,
escrevendo uma triste canção.


Delirando ao lembrar de você,
sonhando com você
chamando você,
querendo você!

Ainda assim...consigo viver!...


Autoria: Andréa Borba Pinheiro